04/01/2016 / Fonte: DR. EDUARDO M. OTANI

CONVULSÕES- Como diagnosticar e agir?

Emoções intensas, exercícios vigorosos, determinados ruídos, músicas, odores ou luzes fortes podem funcionar como gatilhos das crises.

Convulsão é um distúrbio que se caracteriza pela contratura muscular involuntária de todo o corpo ou de parte dele, provocada por aumento excessivo da atividade elétrica em determinadas áreas cerebrais.

Em alguns casos, não é possível identificar a causa da convulsão. Nos outros, entre as causas prováveis, podemos destacar:
-Febre alta
-Doenças como meningites, encefalites, tétano, tumores cerebrais, infecção pelo HIV, epilepsia, etc; 
-Traumas cranianos; 
-Abstinência após uso prolongado de álcool e de outras drogas, ou efeito colateral de alguns medicamentos; -Distúrbios metabólicos, como hipoglicemia, diabetes, insuficiência renal, etc; e
-Falta de oxigenação no cérebro.
Se uma pessoa começar apresentar esses sintomas todos ao mesmo tempo, ela pode estar tendo uma convulsão:(alterações do nível de consciência, movimentos involuntários em alguma parte ou todo o corpo, músculos endurecidos, olhar perdido, como se estivessem no mundo da lua, e não respondem quando chamadas, face com coloração azulada, saliva abundante e espumosa, e em alguns casos a língua pode sangrar devido a compressão dos dentes na mesma.) 
Caso presencie um caso, você deve:
* Deitar a pessoa de lado para que não engasgue com a própria saliva ou vômito;
 

* Remover todos os objetos ao redor que ofereçam risco de machucá-la;

* Afrouxe-lhe as roupas;

* Erga o queixo para facilitar a passagem do ar;

* Não introduza nenhum objeto na boca nem tente puxar a língua para fora;

* Leve a pessoa a um serviço de saúde tão logo a convulsão tenha passado.

Secondata web sistemas